sexta-feira, 19 de abril de 2013

Ao vencedor, as batatas


Berlim, 26 de setembro de 2012

É... Acho que fiz de novo. Comprei novamente o saco de 2 quilos de batatas no supermercado. É que é fica muito mais em conta comprar em maior quantidade, do que comprar apenas alguns. Já sabem o resultado, né? Batata assada. Batata frita. Batata Soutée. Puré de batata. E tanta batata assim se traduz em vários momentos na pia da cozinha descascando batatas. E daí que acho que descascar batatas é uma das coisas mais terapêuticas que existem. Tenho pensado tanto na vida quando estou na pia, descascando batatas. Hoje mesmo parei pra pensar que já estou aqui em Berlim há mais de um mês. E que as minhas aulas já começaram. E que já conheci meus colegas. Pensei em quanta bagagem diferente se encontra na minha sala. Pensei nas histórias de vida que cada um ali trouxe consigo. Como teria sido a infância da moça da Jordânia? E a festa de quinze anos da menina de Singapura? Será que o cara da África do Sul aproveitou a Copa, dois anos atrás? E como vai ser o Natal da moça da Croácia? E aí, pensei em como foi feio quando eu confundi Croácia com Ucrânia. E Romênia com Bulgária. E Colombia com Venezuela. Pensei em como não gostaria que achassem que eu fosse de outro país, quando já tinha me apresentado como brasileiro. Mas essas gafes diplomáticas são inevitáveis, né? O importante é se desculpar e aprender. Não vou tratar com indiferença o diferente. Pelo contrário, cada um na minha sala é um universo em si. E, na verdade, para isso basta ser "outro". Não é preciso vir da Eslováquia ou do México. Até mesmo o outro cara de Brasília, trouxe as suas experiências únicas. Vividas por ele apenas e por mais ninguém.
E foi assim que as batatas me fizeram sentir esse encantamento pelo mundo em meu redor. Antes fossem cebolas. Assim, teria desculpas para chorar. De alegria! 


3 comentários:

Ilde. disse...

Texto lindo, Gu! =)

Maria Helena Godeiro disse...

Acho que eu já tinha lido esse.:D Que bom que vc postou, Guts! Bjo

Gu disse...

Vevé e Maria! Brigado! Adoro quando recebo comentários! E o melhor é quando eles vêm de minhas amigas queridas! :)